Horário
Directo:
• 19h00 às 20h00, de Segunda a Sexta-feira

Repetições:
• 06h00, 07h00, 12h00 e 02:15 de Segunda a Sexta-feira
• 06h00, aos Sábados e Domingos
Mais comentados
Quinta-feira, 8 de Julho de 2010
TEMA: Amamentar: até quando?

DATA: 9 de Julho de  2010

 

 

 

 

 

No programa desta 6ª feira vamos falar sobre amamentação. Mas não sobre os benefícios do leite materno, porque isso, esperamos, já todos sabemos bem quais são!. Vamos sim falar sobre até quando uma criança deve ser amamentada. Até aos 6 meses? Até o bebé ter dentes? Até já comer sólidos? Uma criança de 4 ou 5 anos que ainda mama, parece-lhe estranho?

Vamos procurar as respostas a estas perguntas com:

- Sandra Oliveira: Conselheira de amamentação

- Carla Reis: Enfermeira

- Cristina Gouveia:  Pediatra

 

Entretanto, sugerimos-lhe que espreite este vídeo. Vai certamente surpreendê-la!

http://www.youtube.com/watch?v=DdEN8nKWA4E&feature=player_embedded

 

Não perca ainda a rubrica Prêt-a-Porter com Cristina Dinarés (Let ´Shop) e, na rubrica “Em Privado”, a terapeuta familiar Catarina Mexia vai falar sobre o ciúme.

 

Links úteis:

www.bionascimento.com

www.mamaraopeito.org

www.letshop.pt

www.catarinamexia.com

 

Já sabe, o encontro é às 19.00, em directo, na  SIC MULHER.

 

Esperamos por si!

 



publicado por Mundo das Mulheres às 22:34
link do post | comentar | adicionar aos favoritos

154 comentários:
De Sílvia Roque Martins a 9 de Julho de 2010 às 01:22
Saudações às intervenientes no debate de sexta-feira e felicitações ao "Mundo das Mulheres" pela escolha do tema.

Sou mãe amamentante de um rapazola de 29 meses - quase 2 anos e meio, portanto.

Ainda na última consulta com o pediatra, na semana passada, ouvi: “Que está ele a pedir? Ai! O vício da maminha!” O constrangimento é inevitável, a juntar à raiva e mágoa contidas – afinal de contas, as palavras não vêm de um leigo, é um PEDIATRA a falar! Mas, em nome da boa relação com o “bom pediatra” dos meus filhos, lá vou engolindo os argumentos.

Entretanto, não sei se me dói mais a crítica sonora ou a censura calada. Bem vejo os trejeitos censórios, de olhos, bocas e narizes, de cada vez que me dirijo mensalmente aos serviços administrativos do meu local de trabalho para entregar mais uma declaraçãozinha comprovativa da minha condição de serôdia amamentante. Ninguém diz nada, mas sei muito bem que me tomam por trapaceira e amigalhaça da médica que vai atestando mensalmente semelhante aberração.

No “Mundo das Mulheres”, com o tema que hoje trazem a debate, sinto-me um bocadinho mais “normal”. Grata.


De Isabel Bernardo a 9 de Julho de 2010 às 08:33
Bom dia!
Silvia, revejo-me nas suas palavras.
A única diferença é que a Inês só ainda tem 22 meses e a nossas pediatra é uma defensora da amamentação...
Vou tentar não perder o programa.


De Sílvia Roque Martins a 9 de Julho de 2010 às 09:16
Mas, Isabel, o pediatra até se mostrou muito respeitador da amamentação durante o 1º ano... tanto que apoiou a amamentação exclusiva até quase aos sete meses! O pior foi daí para a frente... Do primeiro ano em diante deixa de ser "normal"...


De Alexandra a 9 de Julho de 2010 às 11:55
Sílvia, o Pediatra do Vicente numa das consultas em que lhe disse que o Vicente ainda mamava muito, dia e noite uma vez que estou em casa com ele, respondeu-me da seguinte forma: " Mamã, a maminha é até aos 3 aninhos da criança nunca menos " fiquei feliz espero muito conseguir amamentar até o Vicente querer.


De Anónimo a 10 de Julho de 2010 às 11:09
E quem é esse pediatra???


De Sandra Oliveira a 10 de Julho de 2010 às 14:10
É verdade Dulce! Esse Pediatra tem-se revelado alguém muito especial e bem conhecedor da importância da amamentação. Mas quer contar a sua história até o encontrar? Seria interessante partilhar.
Beijos


De Alexandra a 10 de Setembro de 2010 às 14:41
De facto fez bem lembrar Sandra, o meu percurso não foi nada fácil, valeu-me a vontade que tinha de amamentar e o acompanhamento da Sandra.
o Vicente nasceu com 3125 kg, saiu do hospital com cerca de 2880kg e teve alguma dificuldade para ganhar peso, o que me deixou desde logo preocupada. Procurei com alguma urgência um pediatra que o visse. A primeira pediatra que o viu, nem sequer se preocupou em ver o bebé mamar e tentar perceber que dificuldades poderiam existir, estava mais preocupada em dar-me um manual de instruções de como "tratar" o meu filho, aliás quando entrei com ele ao colo levei logo uma repreensão, "porque o bebé não é para andar ao colo" ( era um dia de inverno e estive mais de 1h na sala de espera com um recém nascido com dias) enfim... assim que sai do consultório, determinei-me a não voltar e a procurar outro profissional.
A segunda pediatra... saí do consultório a chorar pois mais parecia que estava numa consulta de markting. A senhora pediu-me para por o bebé a mamar, olhou 2 segundos e disse que o bebe não estava a mamar bem e que o meu leite provavelmente não era suficiente, contou-me que ela também da 1 filha só tinha conseguido amamentar um mês, mas da segunda já tinha amamentado até aos 20 meses ( sem saber sequer se eu podia ter mais filhos, ou mesmo que pudesse não estava no meu direito fazer tudo para poder amamentar o meu filho? )...muito bem...enfiou uma xuxa na boca do bebé ( apesar de eu dizer que nós não dávamos xuxa ao Vicente) e sai de lá
com uma amostra de suplemento para começar a dar-lhe nesse dia.
Note-se que o Vicente tinha aumentado de peso e ela própria terminou a consulta a dizer que o bebé estava bem.
Não dei suplemento nessa noite, nem nunca, procurei a ajuda da Sandra que foi determinante e depois encontrei o Dr. Alvaro Birne que também apoiou sempre a amamentação.
O Vicente tinha recuperado o peso com que nasceu aos 19 dias de vida, começou no percentil 10 e hoje é 50 de peso e 75 de altura...que vale o que vale pois o que interessa é que é um bebé saudável.
Muitos familiares ficam perplexos por eu e o meu marido questionarmos muitas vezes a opinião médica, uma vez que não somos médicos...pois até os médicos erram e por vezes é preciso questionar, acreditar que estamos a fazer o melhor e lutar por isso.
Amamentar nem sempre é um percurso fácil, mas para mim foi sempre o caminho desejado que ainda hoje me emociona e me enche de alegria, mesmo nas noites mal dormidas como a de hoje.
Xana


De Anónimo a 14 de Setembro de 2010 às 12:44
Obrigada Dulce! foi preciso realmente muita determinação para ultrapassar as barreiras. Aprendi muito convosco!
Um beijo grande!


De Patrícia Paiva a 9 de Julho de 2010 às 08:34
Amamento com muito orgulho o meu filho com 2 anos e meio! É um momento nosso, de partilha, de carinho, é um momento em que lhe dou o melhor de mim e ele agradece com um olhar enternecedor! Amamento porque tanto eu como ele queremos, e os benefícios do aleitamento materno são apenas um bónus!

A sociedade não aceita muito bem a amamentação após os 6 meses, quanto mais após o 1º ano, e após o 2º ano já somos vistos como uma aberração...

Felizmente tenho família que me apoia, e não escondo este nosso momento, pois acho que o meu filho tem o direito de mamar quando quer e apesar de já ser raro pedir mama na rua, quando o faz tenho de me preparar para ouvir um ou outro comentário, ou para ver alguém a franzir o sobrolho...

Faço parte de grupos de apoio à amamentação, e sei o quanto é difícil para uma mãe amamentar o tempo que deseja, pois muitas vezes tem de ir contra a sociedade, contra o pediatra, contra a família, quando tudo aquilo que aquela mãe está a fazer é o melhor para si e para o seu bebé!

Parabéns pelo tema do programa!


De R a 9 de Julho de 2010 às 09:38
Amamentei a minha filha até aos aos 21 meses, estava na altura já grávida de 3 meses do segundo filho. O desmame foi de "comum acordo", nunca neguei maminha , mas deixei de oferecer e ela foi deixando de pedir. O pediatra sempre apoiou imenso, aliás, um dos principais factores de escolha foi precisamente saber que ele é um defensor da amamentação, sem preconceitos de idades.


De Carla Gonçalves a 9 de Julho de 2010 às 09:44
Bem haja pela divulgação!! Eu amamento o meu filho há 14 meses e meio com muito orgulho e espero poder continuar por muito tempo (ou pelo menos enquanto quisermos os dois).
É importante que estes temas sejam divulgados, para que a nossa sociedade comece a "ver com outros olhos" o acto natural que é amamentar, e não tecer comentários ou tratar as mulheres que amamentam, além dos primeiros meses, como aberrações ou freaks.


De Claudia Barradas a 9 de Julho de 2010 às 09:53
Amamentar enquanto a mamã se sentir bem em fazê-lo, e enquanto o bebeé quiser o leitinho da mamã. Eu amamentei em exclusivo até até aos 6 meses, e no total, até aos 11 meses e meio. A minha filha um dia acordou de manhã e rejeitou a maminha... sem dramas, sem choros, olhava para a maminha e sorria. Insisti durante muito tempo, mas ela já se tinha decidido... fiquei triste,´chorei bastante, mas foi foi bom ter sido ela a decidir. Adorei amamentar! E espero voltar a fazê-lo ;)


De isabel a 9 de Julho de 2010 às 10:01
olá Cláudia
que engraçado, com a minha filha foi o mesmo
amamentei até aos 15 meses, às vezes de hora à hora de noite... e um dia também sorriu, e adormeceu sem mama... ainda insisti 2 ou 3 dias, mas ela já se tinha decidido. ainda agora pede para ver a mama... mas não quer mamar. é só ver (tem 20 meses).
parabéns a todas


De Susana M a 9 de Julho de 2010 às 10:12
Excelente escolha de tema.
Amamento há 16 meses. Tudo, porque tive a sorte de encontrar fantásticas conselheiras de amamentação que me ajudaram depois de alguns problemas iniciais. Esse é o cerne da questão para uma amamentação de sucesso: a boa informação, coisa que não tive no primeiro filho, abandonando a amamentação por me serem dadas indicações erradas.
Hoje em dia os grupos de apoio à amamentação informam e insistem, mais que não seja, na recomendação da OMS. Mas essa informação não chega a todos. Hoje já me vão perguntando quando a princesa deixa de mamar.
Não me importo nada de ser olhada de lado, é-me indiferente, e até tenho orgulho de amamentar. Faço questão de o mostrar e de informar para que se mudem mentalidades.
Afinal, no tempo dos nossos avós não eram os nossos pais amamentados até, pelo menos aos dois anos?
Infelizmente persiste a ideia de abandonar muito cedo, mas se houvesse mais informação, como neste programa, e mais mães amamentadoras tardias e orgulhosas a demonstrar que o contrário é que é bom, saudável, barato e ecológico, as mentalidades podiam mudar mais depressa.
Espero que muitas futuras e actuais mamãs se inspirem neste programa.
Susana M


De Mónica Nogueira a 9 de Julho de 2010 às 10:30
Parabéns pela escolha do tema. É preciso divulgar, divulgar, divulgar.

Sou mãe de dois rapazes: o mais velho com 3 anos e 3 meses e o mais novo com quase 7 meses. Sou uma mãe orgulhosa por poder dizer que o mais velho deixou de mamar porque quis, com 3 anos e 2 meses. Amamentei durante toda a gravidez e em tandem durante 5 meses. É óbvio, os comentários contra a amamentação durante a gravidez e depois em tandem foram imensos, tanto de familiares como de amigos. A pediatra dos meus filhos apoia neste momento a amamentação, mas porque lhe dei muita bibliografia, sites credíveis de internet e outros materiais para que ela se pudesse informar correctamente. Hoje apoia e muito a amamentação. Tanto é assim que decidimos respeitar o ritmo de alimentação do mais novo, e só quando ele se sentou, quando já queria roubar comida do prato dos pais ou do irmão a toda a hora é que lhe introduzimos uma refeição, uma sopa apenas, é o que come agora. E mesmo assim os comentários são: "coitadinho não come nada". Tenho pena que se pense assim.

Compreendo muito bem as dificuldades das mães durante a amamentação, também faço parte de grupos de apoio à amamentação, e como já referiu a Patrícia, há realmente mães que têm de lutar contra o mundo para conseguirem amamentar os seus bebés.

Beijinhos a todas as mães, e espero que seja um excelente programa.


De Tânia a 9 de Julho de 2010 às 10:32
Amamento o meu bebé de apenas 9 meses. Mas já ouço frequentemente a pergunta "ainda mama??", seguido do comentário "fazes bem, sortuda por teres ainda leite". É muito difícil convencer as pessoas, mesmo mães que amamentaram (3-4-5 meses, na maioria...) de que ter leite até mais tarde não é uma sorte, é o normal. Basta ter força para superar as dificuldades (que existem) e o apoio certo na altura certa (talvez o mais difícil ).
Outra questão são os pediatras. O meu bebé adoeceu aos 7 meses, e ao saber que ele estava a ser amamentado, a médica disse logo que a imunidade transmitida pelo leite materno acabava aos 6 meses, que a partir dai o leite era importante por outras razões (não disse quais, nem eu estava interessada na opinião dela...). Mas eu estou convencida de que se não amamentasse, ele estaria mais vezes doente, e certamente com maior gravidade...
Pretendo amamentar o meu bebé enquanto for bom para os 2, certamente mais do que o primeiro ano.
Parabéns pelo excelente tema, e pelas convidadas, em especial a Sandra Oliveira, a quem posso agradecer o sucesso da amamentação, porque não foi mesmo nada fácil amamentar um bebé de 2,010kg ... Se tive sorte, foi em contar com o seu apoio!!!


De alexandra a 9 de Julho de 2010 às 12:17
Ter um bom apoio é de facto muito importante para uma amamentação de sucesso, Tânea, nós tivemos a sorte de ter esse apoio, espero que num futuro próximo todas as mulheres possam contar com o apoio adequado para amamentarem os seus filhos enquanto mãe e filho o desejarem. eu orgulhosamente vou divulgando, na piscina onde vou com o Vicente travei conversa com uma mãe de uma menina que também orgulhosamente amamenta, também contra mentalidades, mitos e pressões e grão a grão parece-me que. já vamos sendo,felizmente, mais.


De Filipa T a 9 de Julho de 2010 às 10:34
Muitos Parabéns pela escolha do tema do programa!
Amamentei o meu filho até aos 15 meses, que agora tem 18 e apenas abandonámos a maminha pq ele espontaneamente deixou de querer.
Concordo com as opiniões já postadas, são momentos mágicos de partilha, amor, cumplicidade que só uma mãe e um filho compreendem.
Eu fui totalmente apoiada pela família e pelo "papá", mas sei que nem sempre é assim e continuam a existir preconceitos e alguma falta de informação.
Eu tive o meu filho num Hospital Amigo dos Bebés e além sempre procurei muita informação para, bem informada, decidir o que seria melhor para mim e para o meu bebé.
A força de vontade e o querer amamentar é o mais importante, porque também há contrariedades e pensar sempre, se é o que queremos, ir em frente!
Boa sorte para o programa... eu vou ver!


De Tânia Sofia Oliveira a 9 de Julho de 2010 às 10:48
Viva pela tema do programa, vou ver de certeza.
Amamento a minha piolha já lá vão 20 meses e não vejo que pare tão cedo, ela adora a "manina"! Foi amamentada em exclusivo até aos 6 meses e pouco e só conhece o meu leite. A pediatra sempre disse ainda bem quando eu respondia que ainda amamentava e sempre me aconselhou a introdução dos alimentos de acordo com a amamentação. Nunca me disse para desmamar nem que estava a fazer mal ou bem, respeita a minha opinião. Aconselhamento tenho tido muito por CAM´s, ainda bem que elas existem!
Tânia


Comentar post

Categorias
Comentários recentes
Olá, sou nova cá e gostaria de partilhar o meu blo...
Visitem e comentem: http://tudo-sobre-a-tv.blogs.s...
Olá eu sua a Rita, tenho 15 anos e os meus pais na...
Olá!Gostaria de compartilhar com você este lindo p...
Agora para ver se aparece o clicável... http://www...
Arquivo

Setembro 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Ligações
Pesquisar blog
 
Perfil